-

  • Biblioteca Escolar - Escola Secundária de Vila Real de Santo António
  • sexta-feira, abril 08, 2016

    ABRIL - Novidades na BE

    Estes três livros foram oferecidos pela Universidade Aberta
    SINOPSE:
     A Grande Transição é sobre o significado real das utopias. Por um lado, sobre a utopia geral, abstracta e obrigatória dos mercados globais, por outro, sobre a utopia concreta dos mercados de proximidade entre produtores e consumidores.
    A Grande Transição é sobre uma nova antropologia cultural do mundo rural, sobre a formação de comunidades de interesses em busca de laços comunitários para o sentido da vida, em contacto directo com o chão físico e biológico.
    Autores: António Manuel Alhinho Covas e Maria das Mercês Covas


    SINOPSE:
    Março de 2009. Estamos em pleno "olho do furacão". Uma crise dita "sistemática" e uma recessão económica profunda, diferente das crises cíclicas de 1983, 1993 e 2003, afectam gravemente a dramaturgia portuguesa. Correm à nossa frente, vertiginosamente, as previsões, as estimativas e os programas de combate contra a crise. Para além da crise que nos chega do mercado mundial e da economia internacional, a sociedade portuguesa está, a curto prazo, fortemente implicada por três níveis ou escalas de problemas: o que irá acontecer na União Europeia, o que irá passar-se nas relações ibéricas, a reabertura, no plano interno, do processo de regionalização administrativa do continente. O tema deste livro é uma incursão, em conjuntura de crise, ao território das relações íntimas que estas três agendas mantêm entre si.
    Autor: António Manuel Alhinho Covas



    SINOPSE:
    Portugal precisa de uma Europa Federal e de um verdadeiro projecto europeu mobilizador mas, também, de encerrar definitivamente o ciclo da 3.ª República e abrir o ciclo da 4.ª República. O acordo de assistência económica e financeira contido no memorando de entendimento com a Troika (BCE, FMI e EU) e a crise das dívidas soberanas e do euro serão os factores instigadores dessa mudança fundamental. É certo, a Europa Federal e a 4.ª República não se resumem nem se esgotam num Acto Federal para a Europa e num Acto de Revisão Constitucional para Portugal, mas as opções políticas e institucionais fundamentais neles contidas deveriam estar disponíveis, de forma muito clara, aos cidadãos europeus e nacionais que, como se sabe, não têm acesso fácil aos acordos jurídicos labirínticos dos respectivos textos de revisão.
    Autor: António Manuel Alhinho Covas
    A Equipa da BE agradece

    Sem comentários: